terça-feira, 28 de maio de 2019

A propósito de " Mistérios" de Matilde Rosa Araújo

O 4º I esteve a conhecer a poesia de Matilde Rosa Araújo através do seu livro " Mistérios". Foi-lhes sugerida a reescrita do poema " Boa noite, passarinho"!
Partilhamos convosco!


BOA NOITE, CACHORRINHO


- Boa noite, cachorrinho
Onde é que vais dormir?
- Vou dormir no teu sofá
Com um peluche a sorrir.

- Boa noite, cachorrinho
Onde é que vais sonhar?
- Em casa da tua avó
Com o tio a ressonar.

- Boa noite, cachorrinho
Estás cansado de correr?
- Tapo os olhos com as orelhas
E já posso adormecer.

- Boa noite, cachorrinho
Não dormes no teu jardim?
- Eu durmo no teu sofá
E durmo muito bem assim.

- Boa noite, cachorrinho
Qual é o teu candeeiro?
- A luz que entra pela janela
E ilumina o teu canteiro.

- Boa noite, cachorrinho
Um soninho muito farto…
- Quando acordar de manhã
Vou logo ter ao teu quarto.

terça-feira, 26 de março de 2019

Dia da Poesia e da Árvore

No dia 21 de março, os alunos foram convidados a construir acrósticos com nomes de flores. Fica aqui uma amostra desse trabalho.

terça-feira, 12 de março de 2019

Ler de porta em porta





A Semana da Leitura já começou. As portas das salas homenageiam a escritora Sophia de Mello Breyner Andresen. Como estamos, também, em Festa das Camélias, o 3º F decidiu dar uma moldura à "sua" Sophia!
Ficou linda! Parabéns!

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2019

"O Beijo da Palavrinha"

Depois de lerem " O Beijo da Palavrinha" de Mia Couto, os alunos da Professora Palmira foram desafiados a escrever um texto, imaginando que a ideia do Zeca Zonzo levou a que a Maria Poeirinha melhorasse de saúde, inventando, assim,  outro final para esta história.

Transcreve-se o texto do Diogo, votado maioritariamente pela turma:

" De repente apareceu uma fada. Era a Fada Curandeira. Quando o tio Jaime Litorânio viu a fada, parou imediatamente e pediu-lhe ajuda para curar a Maria Poeirinha. A fada logo teve uma solução: tinha de a levar a um lago muito próximo dali. A fada disse que quem bebesse aquela água nunca mais adoecia.
Quando chegaram perto do lago a Maria Poeirinha não se conseguia levantar, mas o Zeca Zonzo deu-lhe muita força de vontade. Então Maria Poeirinha levantou-se, bebeu aquela água e voltou ao estado normal.
Maria nunca mais voltou a adoecer!"